Notícias

Mantenha-se atualizado sobre a i2S, acompanhando as notícias mais relevantes sobre a nossa atividade.

Home
Criar soluções à medida das seguradoras

Criar soluções à medida das seguradoras

Desenvolver e implementar soluções informáticas para gestão das seguradoras é o core business da i2S.

Com uma abrangência de atuação que vai além do mercado nacional, uma vez que trabalha no sul da Europa e para a África lusófona, a i2S focaliza as suas soluções nos aspetos críticos da atividade das seguradoras: desenho e desenvolvimento de produtos de seguros; canais de distribuição; subscrição e gestão de apólices; gestão de sinistros; analytics e compliance regulatória.

A agilidade no lançamento de produtos de seguros é um dos aspetos que Gastão Taveira, CEO da empresa salienta como uma mais-valia, uma vez que através da sua solução Configurador, a i2S pode encurtar o prazo que tipicamente uma seguradora leva para lançar um novo produto (entre 8 a 12 meses), para poucas semanas. Também a digitalização dos processos é facilitada. “Muitas seguradoras ainda dependem de muitos processos manuais, que são dispendiosos, lentos, sujeitos a erros e com pouca capacidade de resposta, sobretudo em períodos de ponta. As nossas soluções permitem que uma seguradora se modernize, sem ter de deitar fora todos os sistemas que tem”, assegura aquele responsável. Lembra ainda a importância das questões regulatórias e o facto das soluções i2S permitirem que “a extração e tratamento dos dados seja feita de forma sistemática e com rigor, de forma quase automática”.

No último ano, a i2S realizou a primeira implementação de novos módulos da suite v7 e introduziu uma arquitetura modular nos seus produtos, nomeadamente, o i2S Channels e o i2S Analytics. Também iniciou o projeto InsurAgility, que foi homologado no programa Europeu H2020.

Em agenda para 2020, e com o projeto InsurAgility, a i2S vai fazer evoluir o i2S Configurator: será oferecido em regime SaaS/ Cloud e vai permitir que as seguradoras beneficiem de mais vantagens sem ter de investir em infraestrutura de sistemas.

 

Voltar