Notícias

Mantenha-se atualizado sobre a i2S, acompanhando as notícias mais relevantes sobre a nossa atividade.

Home
i2S na Semana del Seguro 2019: é necessário implementar a cultura da mudança, da flexibilidade e da agilidade

i2S na Semana del Seguro 2019: é necessário implementar a cultura da mudança, da flexibilidade e da agilidade

A curto prazo, 3 a 5 anos, pouco irá mudar. “Deve fazer melhor o que está a fazer hoje. A indústria não vai mudar neste prazo. Com certeza existem muitas coisas que pode melhorar”, respondeu Juan Mazzini, Senior Analyst da Celent, a um dos participantes que lhe perguntou, sem rodeios, o que devia fazer, o que devia mudar e o que não devia mudar. Na segunda parte da resposta, o consultor detalhou o que devia mudar na sua companhia para dar resposta a esta difícil corrida de fundo. É necessário dotar a empresa de sistemas ágeis e, em geral, é necessário ter agilidade no pensamento. “Uma vez que não sabemos como será o futuro, é necessário ter agilidade e flexibilidade para reagir”, referiu.

Esta pergunta surgia após uma mesa redonda sobre os desafios da subscrição de seguros, moderada pelo editor da INESE, José Luis Cendrero, e em que participaram, para além de Mazzini, Gastão Taveira, CEO da i2S, Carlos Fernández Ibáñez, Insurance Practice Lead (Espanha, Portugal, Israel) da Accenture, e Rodrigo Rueda, diretor na área da inovação da Entelgy.

A digitalização, a automatização de muitos processos ainda manuais, a assimetria da informação, o uso dos dados (que “vai ser revolucionário” segundo Carlos Fernández), muitos deles abertos, a agilidade e a abertura ao exterior foram os principais desafios identificados por todos os participantes.

A agilidade, para promover a adaptação das seguradoras à rapidez que o cliente exige, é uma das principais características dos produtos da multinacional portuguesa i2S, como os participantes puderam comprovar através das várias demonstrações que tiveram lugar durante a manhã.

O i2S Analytics é uma ferramenta que oferece a possibilidade de visualizar toda a informação relevante para a gestão do negócio. O i2S Underwriting agiliza e digitaliza todo o processo de subscrição, estendendo-o ao ecossistema e mantendo o controlo das regras para cada um dos produtos e canais. A plataforma InsurAgility (em fase de piloto) permite gerir o ciclo de vida de definição de um produto de seguros e seus componentes. O i2S Configurator, produto que gerou mais expectativas, é um configurador de produtos que permite definir e personalizar os processos de negócio e os produtos de seguros de forma fácil e ágil. E o produto Lifebox, que resulta da colaboração da i2S com a Entelgy, é uma solução insurance as a service.

Anteriormente, na sua nota de boas-vindas aos participantes, Gastão Taveira tinha refletido sobre a situação atual das companhias, devido à pressão sobre as margens operacionais, uma concorrência mais agressiva, clientes mais exigentes, a necessária omnicanalidade, a presença no mercado de comparadores e de insurtech e um crescente impacto da regulação. Referiu ainda a reação das seguradoras em termos de plano tecnológico, apostando na transformação digital, na automatização, nos processos tecnológicos disruptivos, na personalização dos produtos e na cibersegurança.

Por sua vez, Marco Perestrelo, CTO da i2S, analisou as vantagens dos pacotes modulares de software, por oposição a desenvolvimentos à medida, concluindo que “temos de ter um retorno significativo para que o desenvolvimento à medida seja interessante em comparação com os pacotes modulares.”

Juan Mazzini retomou o debate sobre o que é melhor, desenvolvimento próprio ou pacotes. “A menos que os fornecedores disponibilizem plataformas com esta nova arquitetura, existe um número cada vez maior de companhias que poderá rapidamente considerar o desenvolvimento de sistemas de seguros core digitais”, comentou.

Voltar